Categorias: Eletrônicos, Postura Infantil, Sedentarismo

Férias e nossa dificuldade com o tempo excessivo de tela dos nossos filhos.

Hoje falo como mãe, falo da dificuldade que temos em “concorrer” com a diversão e distração fácil à mão.

Tenho um filho de 11 anos, que pratica esportes diariamente na escola e fora dela, numa média de 3 horas por dia, 6 a 7 dias por semana. Ele é muito ativo e gosta muito disso. Mas chegaram as férias, férias também dessas atividades totalmente dirigidas.

Nos primeiros dias, as crianças querem logo fazer tudo aquilo que não dá tempo de fazer em período escolar, mas e depois? Mesmo quando conseguimos tirar férias no mesmo período, ou se não trabalhamos fora, ou se deixamos nosso filho com alguém, controlar o tempo de tela é sempre um desafio.

O que seria tempo de tela? Tempo de tela é o tempo que passamos diante de uma tela eletrônica qualquer, como: computador, TV, celular, tablet, videogame, etc…

Você sabia que existem pesquisas sobre o tempo que a criança pode permanecer em contato com a tela sem que tenha prejuízos à saúde, e que há limites recomendados para esse tempo?

Eis as recomendações:

  • bebês só devem ter contato com telas a partir dos 18 meses, e mesmo assim, no máximo 1 hora/dia. Essa também é a recomendação da Associação Americana de Pediatria. Já a Sociedade Brasileira de Pediatria, contraindica o uso antes dos 2 anos de idade.
  • crianças a partir de 6 anos uso seja limitado a 2 horas/dia, limite também recomendado pela Sociedade Brasileira de Pediatria.

Agora, qual meu desespero? Já é difícil controlar em tempos de aula, com mil atividades na rotina diária, imagine então nas férias? Nos EUA pesquisas apontam que a média é de 6 horas de tela por dia entre as crianças.

Não é muito simples colocar o filho na ativa, também por causa dos primos, vizinhos e amigos que muitas vezes já chegam em casa com os eletrônicos embaixo do braço. Mas filho imita a gente, segue o exemplo, então vamos nos movimentar.

Minha sugestão é o que eu tenho tentado fazer: não acordar tarde (isso não significa acordar muito cedo, ok?), tomar café da manhã com calma e imediatamente ir a um parque brincar. Temos jogado bola, feito caminhadas, andado de bicicleta…

Como nestas férias estamos “por conta” dos avós, sempre tem um passeio ou uma outra atividade à tarde. Quando todos os primos se encontram, e se lembram das telas, tento sugerir jogos e clipes de danças, pelo menos, para que não fiquem parados diante das telas. Essa é a diferença do uso passivo (assistir) e ativo (aplicativos de danças por exemplo).

tempo excessivo de tela de nossos filhos

Estou tentando aqui em casa que as atividades criativas e de esportes, tomem mais tempo que as telas, mas confesso que não tem sido fácil.

Agora, novamente como fisioterapeuta: falando em particular do celular, quando segurado por muito tempo, pode acarretar dores nos punhos, braços, e pescoço; e uma tendinite de polegar chamada quervain (inflamação dos tendões do polegar). Essa tendinite não é adquirida por movimentação repetida mas por ficar muito tempo tensionado (por exemplo, segurando o celular na posição de digitação por muito tempo). Em tensão, os tendões não recebem a nutrição (sangue) adequada, incham e se apertam entre os ossos. Por este motivo, doem e inflamam.

As crianças nunca tinham sido alvo dessa tendinite, mas agora, nos últimos 5 anos, ela tem acometido muito as crianças. Tento me lembrar sempre disso como mãe e como usuária do celular.

Segue sempre o alerta.

Uma universidade Inglesa sugere que sempre façamos as seguintes perguntas:

  • O tempo de tela é controlado?
  • O tempo de tela interfere nas atividades da família?
  • As telas eletrônicas atrapalham o sono?
  • Você consegue controlar os petiscos ingeridos durante o uso de telas?

A Universidade diz que se a família se satisfaz com as respostas, é porque os eletrônicos estão sendo bem gerenciados pela família.

O ideal é que não se use tela:

  • uma a duas horas antes de dormir – para que o cérebro tenha tempo de relaxar.
  • durante as refeições – cuidado! Comer muito distraído pode causar aumento de peso.

Apenas lembrando o conceito de sedentarismo: é definido como a falta, ausência ou diminuição de atividades físicas ou esportivas. Considerada como a doença do século, está associada ao comportamento cotidiano decorrente dos confortos da vida moderna. Pessoas que tem um gasto calórico reduzido semanalmente pela ausência da pratica esportiva são consideradas sedentárias ou com hábitos sedentários. (definição da Wikipédia).

Além das brincadeiras e parques, uma sessão de cinema, um filminho em casa ou um passeio no shopping também é muito bem-vindo!

Aproveite esse finalzinho das férias e brinque com seus filhos. Cada tempo é único, curta ao máximo!

Leia também sobre: A criança e a postura com o uso do celular!

Deixe seu comentário!

1 comentário

  1. Até eu(57anos) estou abusando das telas…..gostei muito das suas orientações Renata e sai(a pé) à tarde toooda., me distrai com pequenos detalhes que escapam do olhar quando estamos atentos à direção do carro 🚗 Valeuuu 👏🏻👏🏻👏🏻 😘